sexta-feira, abril 08, 2005

O Siciliano e o Imperador e as afinidades electivas

Todas as Constituições, que à maneira das de 1791 , e 92 têm estabelecido suas bases, e se tem querido organizar, a experiência nos tem mostrado, que são totalmente teoréticas e metafísicas, e por isso inexequíveis, assim o prova a França, Espanha, e ultimamente Portugal. Elas não tem feito, como deviam, a felicidade geral; mas sim, depois de uma licenciosa liberdade, ventos, que em uns Países já apareceu, e em outros ainda não tarda a aparecer o Despotismo em um, depois de ter sido exercitado por muitos, sendo consequência necessária, ficarem os Povos reduzidos à triste situação de presenciarem, e sofrerem todos os horrores da Anarquia.”

D. Pedro IV

in DISCURSO, que S. M o Imperador D. Pedro I recitou na abertura da Assembleia Geral, Constituinte, e Legislativa a 3 de Maio de 1823


É preciso que alguma coisa mude para que tudo fique na mesma

Principe Fabrizio Salina

in “Il Gatopardo”, Giuseppe Tomasi, duca di Palma e principe di Lampedusa