terça-feira, março 01, 2005

“That the wilderness of Zion may again be like Eden, and her desert like the garden of the Lord”

Estas foram as palavras usadas por Sir Moses Montefiore na sua primeira chegada a Jerusalém. Sir Moses foi um homem de negócios, um filantropo, mas sobretudo um homem religioso e um homem eternamente apaixonado. Foi, digamos, um exemplo.

O que é para nós o exemplo? Sendo o que somos, podemos ver em Sir Moses um apoiante da causa Judaica, um amigo dos seus amigos e do Seu Povo. A sua grandeza era tal que, quando faleceu, deixou no seu testamento diversas quantias para os pobres de paróquias anglicanas e católicas. “Mesmo sem pertencer ao Povo de Israel, um pobre é um pobre”, podemos ler no seu diário.

Para uma primeira crónica bloguista, era o nosso dever invocar alguém que nos serve de guia, os nossos corações precisam de guias.

A Inglaterra de Sir Moses era uma país cheio de desigualdades, mas hoje, em pleno Século XXI, quem não recorda a “avó da Europa”? Quem não olha para trás e vê uma Rainha que foi também um exemplo. Em 1901 quando levou consigo o seu Mundo, o Povo chorou.

Hoje os exemplos e os choros pelas pessoas dignas de memória são poucos ou nenhuns. Necessitamos de atitudes, de Pessoas que sejam um exemplo, por isso é que é necessária um reformulação política.

Mas então, serão os conservadores os indicados para reformular a política? Porque não? Talvez nem todos o consigam, mas muitos por aí caminham.

É necessário antes de mais educar para o futuro. Não uma educação vocacionada no politicamente correcto, mas uma educação que permita distinguir a verdade da mentira, criar as condições para abrir os espíritos, mantendo os valores, a educação e o respeito.

Por isso volto a Sir Moses Montefiore, o respeito pelo próximo, a vontade de ajudar quem necessita, uma entrega incondicional ao D-us e ao Povo de Israel.

Começamos com este exemplo de Humanidade, a próxima crónica terá como exemplo um grande político.

NWM