quarta-feira, março 02, 2005

N’fuca Dona Rosário

A propósito de África, Goa, multiculturalismo (nós, portugueses, mais do que ninguém temos propriedade para falar na matéria), para os apreciadores de Kipling e Karen Blixen e para aqueles que não perdem um episódio de “Jewel in the Crown” (so utterly posh...) refira-se uma das mais notáveis e desconhecidas obras de literatura colonial portuguesa: a Zambeziana de Emílio de San Bruno.

E - pasmem os albinos Mugabes da Esquerda portuguesa - não é que "este paradigma de imperialismo literário, blablabla...", foi reeditado em 2000 pelo Arquivo Histórico de Moçambique, sediado no Maputo (estes tipos da Frelimo são uns reaças revisionistas)!

Mais informações aqui (por favor ignorar as banalidades decalcadas do triste Said).

JTA