segunda-feira, fevereiro 21, 2005

SOLVE ET COAGULA

PSD ou CDS? Depois do clamoroso fracasso da Direita nas últimas legislativas, é desejável que um destes dois partidos (ou mesmo os dois?) desapareça.

Por uma questão de ganhos de eficiência, é urgente reunir a Direita numa única sigla capaz de afrontar o poder absoluto que a sinistra acaba de conquistar.

Sobretudo, urge encetar imediatamente uma renovação profunda de ideias, pessoas e métodos, erradicando interesses instalados, feudos e pequenas vaidade dos baronetes e personalidades que pululam nas duas formações.

Para que depois da dissolução a que se assiste há vários anos, chegue finalmente o tempo da coagulação de um sólido bloco de Liberdade capaz de elaborar e executar um desígnio para Portugal, pois será a este nível que a verdadeira batalha se vai travar. Para vencê-la, é fundamental que os partidos e as pessoas que os compõem entendam que são apenas simples veículos ao serviço da Nação e não entidades com fim em si mesmas.

Algo tem de mudar. Parece que Paulo Portas o percebeu (até agora ainda não foi avistada nenhuma vaga de fundo...). Será que Santana Lopes, como os indícios já permitem adivinhar, vai desencadear uma guerra civil dentro do PSD, debilitando-o ainda mais?